www.ViagensdeMotorHome.com.br

Todos os direitos reservados -2018

Ênio & Maria Teresa

Erechim (RS) a Santana do Livramento (RS)- 549km

Saímos de Erechim no dia 11 de setembro de 2014 já no final da tarde, assim dormimos em Tapera em um posto BR em frente à polícia Rodoviária. Iniciamos a viagem de Erechim porque nossos amigos Alice e Antoninho residem lá e vamos juntos até Ushuaia. Chegamos a Santana do Livramento e aproveitamos o final de semana para conhecemos o lado Brasileiro e o Uruguaio. Na segunda – feira (15) recolhemos o seguro contra terceiros (carta- verde) no escritório do corretor de seguros Altamar Luiz em frente ao Big supermercados em Santana do Livramento. O valor da carta – verde para dois meses foi de 460 reais.

Rivera a Paysandú – 349 Km

Estávamos no estacionamento da Aduana em Rivera desde o dia 12. Carimbamos o passaporte, terminamos de fazer os papéis e seguimos. Apenas vamos passar pelo Uruguai nosso objetivo neste momento é conhecer Argentina e Chile. Dormimos na Aduana do lado Uruguaio.

Argentina

Colón a Ushuaia – 4.292km

Carimbamos o passaporte de saída do Uruguai e entrada na Argentina (mesmo local) no dia 16 de setembro; o pedágio para atravessar a ponte é de 340 pesos, entramos por Colón província de Entre Rios. Fomos parados pela polícia e fomos multados logo em seguida, segundo eles nossos pneus não estavam bons, 200 dólares de multa pagos na hora ou não continua a viagem. Nosso amigo Antoninho também foi multado 200 dólares ou 1633 pesos (o selo de velocidade não era refletivo). Disseram que se fossemos parados de novo era só mostrar a multa e seguir em frente. Dormimos em um posto YPF em San Isidro perto de Buenos Aires (capital). Chegamos a Tigre às 10 horas da manhã e ficamos ao lado do Museu de Arte Tigre (MAT). Lugar conhecido como a “Veneza Argentina”, o delta do Paraná forma muitos canais, é o quinto maior do mundo e o único que conduz a um rio de água doce. O ponto alto de Tigre são os passeios de barco pelos canais; o bus turístico completa os passeios nos museus, praças, porto de frutos (compra-se de tudo) e cassino.

Tigre está distante de Buenos Aires apenas 33 km. Quem for a Buenos Aires não deve deixar de conhecer Tigre. Seguimos para Buenos Aires e ficamos no estacionamento da Fundação Hospital Argerich, na Avenida Regimento de los Patrícios 1941 em porto Madero, há 100 metros do Buquebus. O valor é de 200 pesos por dia. No aeroporto, tem informes turísticos onde dão o mapa da cidade com os principais pontos turísticos. Optamos por fazer o passeio no bus turístico que passa por 24 pontos de interesse do turista, como por exemplo: casa Rosada, Praça de Mayo e outros. Se o turista não quiser descer em nenhum ponto, durante três horas estará dentro do bus, mas se quiser poderá descer em cada lugar para conhecer e depois de 30 minutos, passará outro e a pessoa sobe novamente e vai para o próximo ponto de interesse. Tem áudio que vai explicando a história de cada lugar em seis idiomas, inclusive português. O valor do passeio é de 230 pesos (1 real compra 5 pesos e 1 dólar 15 pesos).O Bus sai da rua Florida com a Avenida Diagonal Norte onde se compra o bilhete. Após o passeio, ao final da tarde, sempre se encontra dançarinos de tango que fazem apresentação nas praças. De Buenos Aires fomos a Mar del Plata, pela ruta 2. Ficamos no Complexo Calasanz, um camping com Chalé, lugar para barracas e motorhome, rua Chulak 6635(altura da Av. Constituición 6600) bairro Parque Montemor fone 0223 479-0333. Boas instalações; lavamos roupas, fizemos compras e conhecemos a cidade. No dia 27 chegamos a Punta Alta ( Bahia Blanca) lubrificamos os bicos dos carros e fomos dormir em um posto ESSO em Três Arroyos. Depois de Bahia Blanca seguimos pela ruta 3 até Ushuaia.

Em San Blas, província de Buenos Aires se inicia a Patagônia. O vento começa a ficar mais forte. Seguindo conhecemos: Viedma, Carmem de Patagones, Santo Antônio do Oeste, todas as cidades na Província de Rio Negro. Puerto Madryn, Província de Chubut) nos recebeu com o balé das baleias Austral, elas batem a cauda na água num ritmo frenético, muito lindo. No estacionamento da Prefeitura Naval, em frente ao teatro del Muelle (av. Rawson c/ Júlio A. Roca) é permitido permanecer; assim conhecemos a cidade, fizemos compras de souvernis e seguimos para Puerto Pirâmides(península Valdes) onde é o berçário de muitos animais marinhos que sobem da Antártica para reprodução nesta península(setembro a março).Contratamos um guia Carlos Canero tel.280 4650 211 que nos levou por toda península(200km) em seu táxi, mostrando as salinas e todos os pontos para avistar, elefante marinho, pinguins de Magalhães, orca, baleia Austral, leão marinho, pássaros, guanacos e também conhecer como fazem o cordeiro Patagônico e degustar, é claro. Segundo Carlos, fomos muito abençoados porque em um mesmo dia conseguimos ver todos os animais que sobem para reproduzirem nesta época do ano. Tem pessoas que ficam semanas esperando para ver as orcas que são as mais difíceis para se avistar. Toda península é de rípio; (cascalho grande)Carlos nos disse que o segredo é a velocidade(menos de 60), não frear bruscamente e nas ultrapassagens diminuir para não jogar pedras e também não ser atingindo por elas.

A vantagem de um guia exclusivo é que você para, tira fotos onde quiser e no momento que achar mais interessante. Quem curte esses animais marinhos não deve deixar de conhecer Puerto Pirâmides, nesta época porque depois é só indo para Ushuaia e Antártica. Em Trelew conhecemos o Museu Paleontológico Egídio Feruglio, uma história completa da passagem dos dinossauros na Patagônia.

Chegamos a Comodoro Rivadavia ao anoitecer (cada vez mais demora escurecer) e dormimos no YPF ao lado da Nissan (dia 03/10). No dia seguinte fomos Rada Tilly, para o camping Fragata La Argentina fone 054-297-4452689, lavamos roupas e descansamos. Rada Tilly é uma cidade pequena muito bonita, distante de Comodoro Rivadavia apenas 10 km.

Seguindo para Puerto San Julian, nossa surpresa foi imensa quando, em Caleta Olívia fomos brindados com a visão de vários leões Marinhos na praia bem próximos da estrada, conseguimos chegar bem pertinho deles. Em Puerto San Julian conhecemos a réplica da nau Vitória em que Fernão de Magalhães chegou à Argentina no ano de 1520 e o lugar da primeira missa em território argentino. Pela ruta 3, 48km após Puerto San Julian tem um mirante onde podemos observar uma formação geológica que é uma depressão endorreica (bacia fechada)de grande extensão (105 m abaixo do nível do mar) e a mais profunda da América. Rio Gallegos é a capital da província de Santa Cruz e é conhecida como a cidade dos ventos, devido as massas polares que vem da Antártica. Está localizada a 64 km do “Paso de Integração Austral” que é o complexo de fronteira entre Chile e Argentina; possibilitando o acesso de balsa ao Arquipélago da Terra do Fogo pelo Estreito de Magalhães.

Chile

Punta Delgada a San Sebastian – 180 km

Carimbamos o passaporte em Laguna Azul (Arg) e entrada no Chile. Em Punta Delgada atravessamos o Estreito de Magalhães de Balsa, (15 minutos a travessia) a emoção fica por conta dos ventos na travessia. Depois de Cerro Sombrero, a estrada é metade de rípio e metade asfaltada (ruta 257), uns 70 km de rípio. No rípio não dá para desenvolver uma velocidade mais que 60 km por hora, o carro pula muito e se você pisar no freio bruscamente derrapa no cascalho, o rípio é muito bem feito, apenas temos que ter cautela para não sofrer um acidente. Em San Sebastian carimbamos a saída do Chile e entrada na Argentina novamente.

Argentina

Passamos por Rio Grande (província de Terra do Fogo), localizada na costa noroeste da Ilha principal da Terra do fogo, Antártica e Ilhas do Atlântico Sul. Distante 212 km de Ushuaia, tem 60 mil habitantes e é a maior cidade da Província da Terra do Fogo. Chegamos a Tolhuim ao anoitecer (21 horas), uma imagem maravilhosa o sol se pondo sobre os picos nevados. Dormimos num YPF (posto de Combustível), logo na entrada da cidade.

O amanhecer também é lindo, assim seguimos 80 km até Ushuaia, fotografando as belezas naturais da região. Lago Fagnano, lago Escondido, muitas montanhas quase todas com neve nos picos. O Passo Garibaldi, está a 500 metros acima do nível do mar e dá para ver quase toda a região com sua vegetação bem diferente (ñires, lengas, turbais), e a Cordilheira dos Andes na Terra do Fogo. Com certeza vale a pena parar e fotografar. Ushuaia é a capital da Província da Terra do Fogo, colonizada por Europeus, no século XIX, que instalaram missões para catequizar os índios e a consequência foi o extermínio dos mesmos, pelas doenças do branco. Na segunda metade do século XX foi um presídio. Hoje é um centro turístico mais importante da Argentina que utiliza o slogan a cidades mais Austral (sul) do Mundo.

Os passeios são muitos, o mais importante é conhecer o Parque Nacional da Tierra del Fuego, dentro do Parque termina a ruta 3. O ingresso para o parque é de 100 pesos e não pode ingressar com cachorro ou outro animal qualquer. Assim Toninho e Alice não puderam conhecer o Parque e voltaram para a cidade porque viajam com um cachorrinho. O Parque é belíssimo, com canais, lagos e Cerros (montanhas). O correio da Argentina tem um posto que se o turista quiser poderá mandar para qualquer lugar um cartão Postal, do fim do Mundo. Para completar toda aquela beleza do lugar, começou a nevar na madrugada do dia 10 de outubro, neve fora de época que adoramos ver e estar no meio dela. Começamos a retornar no dia 12 ainda com neve e muita cautela nas estradas, não levamos, as cadenas (correntes) que exigem porque estamos na primavera e não imaginávamos que veríamos este espetáculo da natureza.

Chile

Punta Delgada a Cerro Castilho- 523 km

Até o Estreito de Magalhães, o caminho é o mesmo para voltar. A revista nos carros é minuciosa e retiram até uma cabecinha de alho se você estiver levando. O problema maior foi para atravessarmos neste dia, o vento estava mais forte e ficamos parados 9 horas esperando a balsa voltar a operar. Às 22horas voltou a embarcar os carros, mesmo assim o vento jogava a água do mar que encobria a balsa e ela balança muito. Dormimos do lado Chileno perto da balsa mesmo, a fila de carro dos dois lados dava mais de 40 km. Seguimos Punta Arenas, Puerto Natales e depois Torres del Paine. O Parque foi criado em 1959, tem uma superfície de 227.298 hectares e recebe por ano 155 mil visitantes. Sua atração principal é a cordilheira Paine destacando três agulhas de granito conhecidos como Torres del Paine. O vale dos guanacos é uma atração do parque como glacial Grey , lagos, cachoeiras, tudo é muito lindo. Não necessita de guia o passeio, na entrada dão o mapa e você paga o valor de 36 mil pesos Chilenos( 61 dólar) e poderá ficar no parque quantos dias quiser. O Toninho e Alice não quiseram se aventurar novamente pelo rípio, ficaram esperando em Cerro Castilho.

Argentina

El Calafate a San Carlos de Bariloche - 1423 km | San Carlos de Bariloche a Puerto Iguazú – 1975km

Novamente, atravessamos a fronteira do Chile para Argentina e fomos para El Calafate (Província de Santa Cruz). Ficamos no camping El Ovejero, com água quente para lavar roupas, banho, wi fi, restaurante. Camping e Hostal, El Ovejero fica na rua Jose Pantin 64 fone 029-49422, o preço é de 170 pesos argentinos por pessoa( 11 dólares ou 30 reais).

O site do camping é www.campingelovejero.com.ar Fomos conhecer o Glacial Perito Moreno que em 1981 a UNESCO incorpora, a sua lista de Patrimônio Mundial da Humanidade. Através de passarelas ou de barco, chega-se bem pertinho do Glacial que tem 14 km de extensão, 5 km de largura e 60 metros de altura, não tenho palavras para descrever a beleza deste lugar, o azul do céu e do glacial, o barulho que ele faz ao rachar o gelo, muito impressionante a beleza deste lugar. Glacial Perito Moreno sem dúvida merece nota 10. Recebi um email de Dan e Liane que estão conhecendo as Américas e vão até o Alasca com uma Land Rover, eles são da Cidade de São Paulo e viram nosso motorhome com chapa de Ilha Solteira SP ( não trocamos a chapa ainda) em Torres del Paine ( Chile) e não conseguiram parar porque chovia no momento e em El Calafate estava só o carro parado, assim anotaram nosso site e mandaram um email para nos encontramos mas nós já tínhamos seguido quando abri o email , tenho seguido a viagem deles pelo facebook zanzando.com ( Dan e Liane).

De El Calafate fomos para Bariloche pela ruta 40 que está quase toda asfaltada apenas uns 200 km de rípio, o trecho maior de rípio seguido é de Três Lagos até Gobernador Gregores (60km) depois uns trechos de 10 a 15 km de rípio e continua o asfalto. Como a estrada tem uns trecho de rípio e o Antoninho e Alice já conhecem Bariloche resolveram seguir por outro caminho. A ruta 40 é linda, mas deserta, o vento continua implacável, uma cidade da outra é bem distante e neste meio não existe nada, a não ser, ovelhas e guanacos. Num dia inteiro de viagem de 500 km passou por nós 3 carros. Perto de Esquel o movimento da estrada melhora e a paisagem muda, muitos lagos, montanhas. Chegamos a Bariloche (Província de Rio Negro), no dia 22 de outubro.

A região toda de serras é linda, Esquel, El Hojo, El Bolsón( Província de Chubut). Resolvemos retornar ao Brasil, vamos agora direto, fomos pela ruta 237 até Neuquén, ruta 22 até Bahia Blanca, ruta 3 até Buenos Aires,6, 12 e 14 até Puerto Iguazú. Neste trecho de volta, a paisagem é de muitas cidades, plantações, hidroelétricas, portos; as estradas são ótimas e agora com bastante trânsito. Atravessamos para o lado Brasileiro no dia 28 de outubro após conhecermos as Cataratas do lado Argentino.

Brasil

Foz do Iguaçu(PR) à Chapada dos Guimarães( MT)- 1400 km

Em Foz do Iguaçu, ficamos no camping Motorhome (antigo CCB) que agora está com nova direção, o restaurante funciona todos os dias. A localização é atrás do Parque Nacional. Conhecemos o Parque das Aves, fomos rever as Cataratas do Iguaçu. Seguimos para Santa Helena (PR), Novo Mundo (MS), Rondonóplis (MT).

Chegamos em casa no dia 9 de novembro. Foi uma viagem linda; Agradecemos a Deus primeiramente e aos nossos amigos, Ronald e Iris pelas dicas maravilhosas sobre lugares e camping, Antoninho e Alice que nos deu a possibilidade de conhecer uma natureza tão diferente e bela.

:: Roteiro da Ida

Brasil: 

Rio Grande do Sul: Erechim, Passo Fundo (RS 135), Ernestina, Tapera, Alfredo Brenner, Cruz Alta ( RS 223), Cruz Alta, Júlio de Castilhos, Santa Maria ( BR 158), Rosário do Sul, Santana do Livramento (BR 158)

Uruguai: Rivera, Tacuarembó, Paysandú ( ruta 5 e 26)

Argentina: Colón, Concepción del Uruguay, Gualeguaychu, Zarate ( ruta 14), Tigre, Buenos Aires (Pista Dupla), Mar del Plata ( Ruta 2), Necochea, Três Arroyos ( Estrada 88 e 228), Bahia Blanca, Viedma, San António do Oeste, Puerto Madryn, Trelew, Comodoro Rivadavia, Caleta Olivia, Puerto San Julian, Piedra Buena, Rio Gallegos ( Ruta 3 ), Travessia sobre Balsa, Estreito de Magalhães.

Chile: Punta Delgada, Mantiales, Cerro Sombrero, San Sebastian ( Ruta 257)

Argentina: Rio Grande, Tolhuim e Ushuaia (Ruta 3).

 

 

:: Roteiro da Volta

Argentina: Ushuaia, Tolhuim, Balsa- Estreito de Magalhães.

Chile: San Sebastian, Cerro Sombrero, Punta Delgada (Ruta 257), Punta Delgada, Punta Arenas, Puerto Natales, Cerro Castilho (Ruta 255 e 9 )

Argentina: 28 de Noviembre, Esperanza, El Calafate (Ruta 40 e 11), Três Lagos, Gobernador Gregores, Bajo Caracoles, Perito Moreno (Ruta 40), Rio Mayo, Gobernador Costa, Tecka, Esquel, El Hojo, El Bolson, San Carlos de Bariloche (Ruta 40), San Carlos de Bariloche, Piedra del Aguila, Neuquén (Ruta 237), Cipolletti, Choele Choel, Rio Colorado, Bahia Blanca (Ruta 22), Bahia Blanca, Três Arroyos, Azul, Las Flores, Lujan (Ruta 3), Zarate, Gualenguachu, Colón, Concordia, Paso de Los Libres, Santo Tomé, Puerto Uguazu (Ruta 14 e 12).

 

Brasil:

Paraná: Foz do Iguaçu, Sta. Terezinha de Itaipu (BR 277), Missal, Santa Helena, Marechal Cândido Rondon, Guaíra (PR 495),

Mato Grosso do Sul: Mundo Novo, Eldorado, Naviraí, Caarapó, Dourados, Campo Grande, Coxim, Sonora (BR 163).

Mato Grosso: Rondonópolis, Jucimeira (BR 364), Don Aquino, Campo Verde, Chapada dos Guimarães (BR 070 e 140 MT).

 

Uruguai