www.ViagensdeMotorHome.com.br

Todos os direitos reservados -2018

Ênio & Maria Teresa

De Ilha Solteira (SP) a Chapada dos Guimarães (MT) são 1000 km, pela estrada que percorremos. Chegando a Jaciara (MT), saímos da BR364 e trafegamos por uma vicinal estadual para Dom Aquino e Campo Verde (MT) até Chapada dos Guimarães. Essa estrada não tem caminhões e também não precisa passar por Cuiabá. A Capital está com o trânsito com muitos desvios por causa das obras para a Copa do Mundo de Futebol. Chegando a Chapada dos Guimarães (MT), nos instalamos no camping Nilton Pacheco que fica na estrada Emanuel Pinheiro, (sentido Cuiabá) uns 6 km da cidade.

Chapada os Guimarães é uma cidade histórica. Segundo os pesquisadores em 1727, a história já relata a presença de tribos indígenas e algumas incursões dos Bandeirantes à procura de ouro nas chapadas acima da Serra. Em 1769 recebeu o nome de Chapada dos Guimarães, distrito de Cuiabá e foi elevada a município em 1953. O Templo histórico de Chapada dos Guimarães foi construído em 1778 e a sua inauguração aconteceu aos 31 de julho de 1779. Em 1958 foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Segundo Edmundo Etzei “é o único e autêntico resíduo barroco existente em Mato Grosso”.

A cidade de Chapada dos Guimarães tem uma população de 18.000 mil habitantes aproximadamente; com uma altitude de 811metros acima do nível do mar, seu clima é agradabilíssimo. A distância de Cuiabá é de 64 km. É um dos ecossistemas mais importantes do estado de Mato Grosso, cerrado rico em Fauna e Flora, a região é circundada por formações rochosas milenares compostas de arenito vermelho - alaranjado, dando origem aos mais belos cenários. Em suas encostas encontramos rios e nascentes de águas cristalinas, cachoeiras, sítios arqueológicos e cavernas. A região de Chapada dos Guimarães está localizada na mais antiga placa tectônica do Continente, “Centro Geodésico da América do Sul”. O Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, foi criado em 1989, em uma área de 33 mil hectares, assegurando a preservação dos recursos hídricos naturais e sítios arqueológicos existentes, proporcionando uma visitação segura e com toda preservação da natureza. Quem administra o Parque é o ICMBIO ligado ao Instituto Chico Mendes. Em Campo Verde, as plantações de soja, milho e algodão estão por toda parte e chegam até o limite do município de Chapada, onde o cheiro de veneno está no ar e futuramente poderá afetar o ecossistema da região.

Para os passeios pelo Parque é necessário um guia turístico. A cidade possui sete agências de turismo, optamos pela” Chapada Off Road”, localizada no centro, a escolha foi ótima, ficamos muito satisfeitos. Os passeios na Gruta Azul e Caverna Aroe Jari são muito bonitos, a caminhada em trilhas dentro da mata é de 11 km, ida e volta. Esse passeio é com guia, almoço incluso e entrada em propriedade particular, fica no sentido de Campo Verde. O passeio dentro do Parque é de 8 km, também por trilhas e cachoeiras muito lindas, como as cachoeiras 7 de Setembro, Degraus, Prainha, Andorinha, Véu de Noiva e outras. Também existem passeios que não precisam de um guia, você vai por conta própria. Tais como:

 

  • Mirante do Centro Geodésico da América do Sul, uma vista maravilhosa da planície Pantaneira e de Cuiabá;

  • Mirante Alto do Céu - uma propriedade particular (10 reais ), com trilha e uma paisagem linda;

  • Ponta do Campestre; Balneários: 7 Jota; Paciência; Cachoerinha e do Rio Claro;

  • Mirante Morro dos Ventos; Pousada do Penhasco, com trilhas e mirante; Resort Atmã;

  • Tribo do Remo nos rios Claro, Coxipó do Ouro e Paciência com flutuação.

  • Sala da Memória e muitas lojas de artesanato na cidade.

  • Cachoeira dos Namorados, marimbondo e outras.

  • Portão do inferno.

 

Quando fizemos os passeios nas Cavernas e dentro do Parque Nacional, conhecemos Gabriela e Walter, ela jornalista e ele fotógrafo. Eles faziam uma reportagem para o Portal ”Conhecendo Mato Grosso” www.conhecendomt.com.br. A companhia foi ótima.

As estradas de Mato Grosso são difíceis, o trânsito de caminhões intenso, mas vale a pena conhecer suas belezas naturais.

 

Dicas Importantes:

  • Vista roupas e calçados apropriados para fazer as trilhas;

  • Leve saco plástico para trazer seu lixo de volta;

  • Leve água potável;

  • Caminhe pelas trilhas oficiais.

São Paulo: Ilha Solteira 01-08-2013

Mato Grosso do Sul: Aparecida do Taboado , Paranaíba , Cassilândia.

Goiás: Aporé, Itumirim, Serranópolis, Jataí, Mineiros.

Mato Grosso: Alto Araguaia, Alto Garça, Pedra Preta, Rondonópolis, Juscimeira, Dom Aquino, Campo Verde, Chapada dos Guimarães.